Cachorro pode comer chocolate? Entenda por quê!

Na hora de alimentar os pets, os tutores precisam estar bem atentos sobre quais alimentos podem ou não ser consumidos por seus bichinhos. Por mais que alguns desses petiscos já sejam bem conhecidos como benéficos ou prejudiciais, é normal surgirem dúvidas no dia a dia. Afinal, nosso organismo é diferente do deles, e o que faz bem para a gente pode não fazer bem para nosso pet.

Inclusive, muitos alimentos que são riquíssimos para nossa dieta podem ser altamente prejudiciais para os bichinhos, e em alguns casos, até letais. Dessa forma, vale a pena pesquisar e ter certeza do efeito de um petisco no organismo do seu cachorro antes de ceder ao famoso olhar pidão – isso pode salvar a vida do seu filho de quatro patas.

E quando o assunto é doce, o chocolate é uma das maiores dúvidas dos tutores. O motivo é claro: a guloseima é deliciosa e parece totalmente inofensiva, afinal, é só um doce feito com leite e cacau… Nada demais, certo? Errado! E neste post vamos explicar por quê.

Então, se você quer saber se chocolate faz mal para cachorro, está no lugar certo! Neste post vamos explicar qual o efeito dessa doçura no organismo dos cachorros, e você poderá tirar todas as dúvidas sobre o assunto. Vamos lá?

Cachorro pode comer chocolate?

Não, cachorro não pode comer chocolate! Esse alimento possui teobromina, um alcalóide primário encontrado no cacau, que é altamente tóxico para o organismo dos cães.

Considerando que esta substância está presente no cacau, todos os alimentos que vão cacau são perigosos ao pet, e quanto maior sua concentração, mais prejudicial. Embora a quantidade presente na guloseima seja relativamente pequena e facilmente metabolizada pelos seres humanos, é o suficiente para causar uma intoxicação grave nos cães – eles têm um metabolismo mais lento e isso faz com que as toxinas se acumulem.

Cachorro em um parque olhando um pedaço de bolo que está sobre a mesa

Infelizmente não é possível determinar uma quantidade mínima de chocolate que os cães podem comer sem que isso apresente um risco à saúde, visto que cada animal possui um ritmo metabólico específico e cada alimento contém uma concentração diferenciada.

O chocolate meio amargo, por exemplo, é o principal vilão da história, visto que é composto por pelo menos 50% de cacau. O chocolate ao leite apresenta mais gordura e açúcar em sua composição, mas ainda sim contém uma alta quantidade de teobromina e entra no pódio de alimentos para não dar para o cão. O branco, por sua vez, contém poucos vestígios de cacau, mas não deixa de ser prejudicial ao bichinho e deve permanecer longe dele.

Quais efeitos o chocolate causa nos cães?

Os efeitos vão depender da quantidade consumida, da concentração de cacau na formulação e do tamanho do cão. Quanto menor o porte do cachorro, menos teobromina será suficiente para causar uma intoxicação. Segundo pesquisas, a Teobromina fica em média 17 horas e meia no organismo e, conforme vai sendo absorvida, os sintomas vão aparecendo ou se intensificando.

A intensidade dos sintomas também vai variar de acordo com a dosagem consumida. Entre os efeitos, podemos destacar:

  • vômito;
  • diarreia;
  • sede excessiva;
  • urina excessiva;
  • inchaço abdominal;
  • aceleração dos batimentos cardíacos;
  • aceleração da respiração.

Em casos mais complicados, o consumo de teobromina pode causar sintomas mais graves, como desidratação, ataques epilépticos e morte.

Cachorro deitado no chão após vomitar ao comer chocolate

Claro que a gravidade vai variar de acordo com a quantidade. Em uma concentração de até 20mg/kg, os efeitos são mais leves, como diarreia e vômito. Os efeitos mais graves normalmente aparecem caso a quantidade ingerida pelo pet esteja entre 40 a 50mg/kg. A partir de 60mg/kg a consequência pode ser fatal, com quadros comuns de epilepsia e complicações cardíacas.

Para se ter uma noção da quantidade, apenas 10g de cacau em pó contém 189mg de teobromina, e um pedaço de 50g de chocolate ao leite, 95mg. Portanto, ressaltamos que nenhum alimento com chocolate pode ser degustado pelo seu filho de quatro patas – nem mesmo aquele bolinho da tarde!

É importante estar sempre atento caso ele apresente algum desses sintomas iniciais para fazer o tratamento o mais rápido possível.

O que fazer se o cachorro comer chocolate?

Se você perceber que seu cachorro comeu um pedaço de chocolate, mesmo que ainda não tenha apresentado sintomas, ligue imediatamente para o seu veterinário de confiança para seguir as recomendações do profissional. Quanto antes o tratamento adequado for iniciado, maiores as chances de salvar o seu peludinho.

O tratamento apresenta maiores índices de eficiência quando iniciado até 4 horas depois da ingestão, ainda mais se o cão tiver vomitado nesse intervalo. Por outro lado, o animalzinho pode vir a óbito 24 horas se a quantidade de chocolate for alta e o tratamento não for iniciado a tempo.

Vale destacar que não há nenhum antídoto para a intoxicação por teobromina, sendo que o tratamento implica em aliviar os sintomas e estabilizar o quadro clínico do cãozinho. Como tratamento de suporte, o veterinário pode optar por induzir o vômito ou fazer uma lavagem gástrica, dependendo da situação e do tempo de ingestão.

O principal tratamento, no caso, é a prevenção. Evite oferecer ao seu pet alimentos para humanos, pois como dissemos no início, nosso organismo é completamente diferente do deles. O café e o guaraná são outros exemplos de alimentos que contêm teobromina. Assim, mantenha-os longe de tudo que contenha tais ingredientes na composição.

Mas a boa notícia é que existem várias frutas deliciosas e refrescantes que o seu bichinho pode comer em vez do chocolate, e fizemos uma lista com as principais para você. Leia o post 15 Frutas que Cachorro Pode Comer e confira quais são!

Cachorro na beira de um rio recebendo um pedaço de melancia de uma pessoa

Além das frutas, é possível apostar em “chocolates para cachorro”, que nada mais são do que guloseimas feitas especialmente para os cães e que são livres de ingredientes impróprios para os peludos. E instrua as crianças ou as visitas para nunca alimentarem o seu cão sem sua supervisão.

Esperamos que esse conteúdo tenha sido valioso para você. Se tiver dúvidas, deixe nos comentários. Ficaremos felizes em te responder.

Até mais, tutor!

Deixe um comentário