Cachorro Ansioso: como ajudar nosso pet? Confira com a Líder da Matilha

Um cachorro ansioso demonstra diversos sinais para o seu tutor, que nem sempre são fáceis de identificar. Isso porque várias outras doenças possuem sintomas semelhantes, fazendo com que a ansiedade não seja uma das primeiras causas a se pensar. Por

exemplo, vamos pensar em uma situação comum para que você entenda melhor! Já saiu para trabalhar e percebeu, quando voltou para casa, que seu pet não havia comido, tinha destruído papel higiênico ou até mesmo comido as próprias fezes?

Pois é, esse é um dos principais fatores que levam os peludos a se sentirem estressados e ansiosos, pois quando o tutor não está, eles estranham a falta dos “pais, irmãos” e outros membros da residência. Portanto, esse contexto contribui para o surgimento de questões relacionadas ao sentimento ansioso em cachorros e a tão temida hiperatividade canina.

Mas saiba que, com um bom condicionamento e uma boa dose de atenção, eles podem voltar a apresentar comportamentos equilibrados. E é exatamente sobre isso que nós da Líder Da Matilha iremos explicar e conversar com você hoje!

Quer entende mais e ajudar seu amigo a ficar menos ansioso? É só continuar acompanhando a leitura!

Por que o cachorro fica ansioso e quais são as principais causas?

Na maioria das vezes, quem traz um novo amiguinho para casa deseja que ele se sinta como um verdadeiro membro da família, não é mesmo? O que é bastante positivo se pararmos para pensar em seu bem-estar e desenvolvimento. Entretanto, quando há excessos na “criação” do cão, é possível que o pet se sinta completamente dependente.

Ou seja, o cachorro passa a ficar ansioso e estressado quando o tutor sai de casa. Ele precisa de atenção o tempo todo, por isso, começa a praticar algumas ações para chamar atenção do tutor. Sem contar nos inúmeros sintomas físicos que começam a aparecer, como excesso de saliva e lambedura da pata.

A Síndrome da Ansiedade da Separação é um exemplo disso, já que os bichinhos não conseguem lidar com a ausência do tutor – mesmo que por um curto período. Desde pequeno é preciso condicionar o cachorro para a sua rotina! Então, se tem horários que você não fica em casa ou não pode ceder atenção, deixe isso explícito. Afinal, você é o responsável da história, certo?

Contudo, não faça isso de qualquer maneira, pois quebrar esse vínculo de uma hora para outra pode deixá-lo com a sensação de solidão. Um dos principais motivos que geram o desequilíbrio comportamental e ansiedade em pets de diferentes idades são:

  • Falta de treinamento para equilibrar o comportamento;
  • Baixa socialização com outros animais;
  • Gasto energético defasado;

É claro que cada raça possui suas próprias necessidades e demandas, já que os comportamentos mudam de uma para outra – assim como de pet para pet. Contudo, preste atenção no seu peludo, veja se os hábitos do dia a dia ainda condizem com a personalidade dele.

E mais, não dê regalias que não serão mantidas depois de um certo tempo. Saiba equilibrar e manter uma rotina saudável para o seu cãozinho que não irá ser perdida depois de um tempo. Acima de tudo, entenda a responsabilidade de trazer um animal de estimação para o seu lar, afinal de contas, ele precisa de cuidado e atenção!

Quais são os sintomas de cachorros com ansiedade?

Já explicamos um pouco sobre os motivos que levam os cachorros a ficarem ansiosos, correto? Agora vamos nos aprofundar e falar sobre os sintomas físicos e emocionais que nos levam a identificar o quadro de ansiedade em nossos companheiros.

Lembre-se da importância em consultar um especialista de sua confiança para verificar a procedência desses sintomas, tudo bem? Como dissemos anteriormente, há outras doenças que também são caracterizadas por um ou mais dos indícios sinalizados neste tópico.

Então, para tirar qualquer dúvida que resta, vá até um veterinário e leve seu aumigo para uma visita de rotina. Explique o que está acontecendo, principalmente se notar os seguintes sintomas:

1 – Apetite Desequilibrado (Excesso ou Falta)

Essa é uma das principais maneiras de notar se seu peludo precisa de algum tipo de suporte, sabia? Afinal de contas, não é muito comum eles passarem horas sem se alimentar ou recusar petiscos que tanto gostavam. Bem como não é normal a ânsia por mais e mais refeições logo após terem se alimentado.

Por isso, fique em alerta quando o apetite do seu pet estiver desequilibrado, tanto para mais quanto para menos, ok? Aliás, se ele ficar dias sem comer ou ingerir mais quantidade do que o indicado, as chances de desenvolver uma doença proveniente da ansiedade é bem alta.

2 – Lambedura Excessiva das Patas

Essa é uma maneira dos cãezinhos liberarem o estresse que está os incomodando. Eles veem a pata como uma forma de tirar toda e qualquer carga de ansiedade que está deixando-os desconfortáveis. É recorrente que esse hábito crie feridas e machucados que os deixem ainda mais nervosos.

Mas, também pode acontecer de eles estarem lambendo o local por conta de machucados ou alergias já existentes. A dica nestes casos é analisar se a lambedura excessiva vem de problemas emocionais ou apenas de questões físicas que precisam ser tratadas com remédios e outros procedimentos.

3 – Salivação em Excesso

O organismo de um cachorro ansioso está sempre em estado de alerta, isto é, está sempre trabalhando. Desse modo, a frequência respiratória tende a aumentar, tendo como consequência a salivação excessiva que deixa os tutores bastante preocupados.

Se você notar esse comportamento e já tiveer descartado outros problemas como calor intenso, dificuldade para deglutir e problemas bucais, é interessante brincar com o cãozinho ou dar uma volta para distraí-lo.

Atenção: animais braquicefálicos possuem dificuldade para respirar e deixar a temperatura do corpo ideal, então tendem a babar mais. Entretanto, se a saliva for realmente excessiva, levá-los em um veterinário é a melhor das opções, uma vez que eles podem perder a consciência por conta do calor.

4 – Comportamento Destrutivo

Se o seu companheiro estiver se sentindo muito sozinho, a tendência é que ele tenha um comportamento destrutivo para chamar atenção. Ele pode achar que o “abandono” foi proposital e, devido a isso, começa a traçar estratégias para que você tenha um tempo com ele.

É normal isso acontecer, por exemplo, em momentos de férias. Você sai para viajar com a família, deixa-o sob os cuidados de alguém de confiança, mas mesmo assim quando volta a casa está simplesmente dos avessos. Não tenha dúvidas, ele está estressado com a sua saída e ansioso pela sua chegada.

5 – Choros e Uivos

O instinto animal também se manifesta a partir de choro e, no caso dos dogs, do uivo. Existe aquele tipo de aumigo que prefere manifestar a insatisfação por meio da agressividade, já outros tocam no coração de seus tutores por meio de episódios profundos de choramingo.

Seja quando o tutor sai de casa ou quando o horário de passeio foi esquecido. Não importa, eles irão chamar a atenção com longos períodos de choro. Fique esperto, esse é um jeito comovente que, às vezes, acaba deixando-os desacostumados.

Como diminuir a ansiedade do cachorro?

Finalmente chegamos a tão esperada solução! Confie em nós, ela não é tão difícil quanto parece, mas também necessita de uma atenção especial. Para resolver a ansiedade dos cachorros, você precisa estar equipado – é claro! – com coleiras, peitorais e guias, mas também uma boa dose de paciência.

Confira algumas dicas que podem ajudar no processo de condicionamento e melhora dos sintomas do seu parceirinho:

1. Tenha uma rotina de caminhadas e brincadeiras com o cachorro

Pode parecer clichê, porém é uma ação muito importante na hora de manter o emocional e psicológico do cãozinho em ordem. Ele necessita gastar energia e brincar, seja com uma bolinha ou cabo de guerra – ele com certeza vai curtir competir com você, viu?

E, dependendo da raça, mantenha uma jornada de atividades físicas. Os Borders Collies, por exemplo, têm a necessidade diária de caminhar, correr e pular por aí. Já os buldogues, não são os maiores fãs de exercício e gostam de uma caminhada mais leve.

2. Deixe por perto os brinquedos que ele mais gosta

Os nossos parceirinhos caninos são apaixonados por itens divertidos que chamam atenção. Então, por que não deixar todos esses brinquedos por perto quando você tiver que se ausentar? É uma maneira de acalmá-los, além de fazer com que eles tenham uma distração nesse meio tempo.

3. Promova uma dieta balanceada e nutritiva para o seu cãozinho

Uma dieta balanceada e nutritiva é extremamente bem-vinda quando estamos falando de cachorros ansiosos. Ofereça a ração normalmente, mas também dê alguns mimos nutritivos ao longo do dia. Frutas são ótimas opções para saciar o seu bichinho de maneira equilibrada.

4. Mostre que você está na liderança a partir de confiança e condicionamento

É isso mesmo, quem está no controle é você e isso deve estar transparente ao seu cão. Se ele pensar que pode fazer o que quiser sem ter consequências, quando for advertido sua reação não será nenhum pouco bacana. A repreensão pode soar muito dura, visto que ele não está acostumado e acaba gerando uma ansiedade desnecessária.

Como resolver a ansiedade em cachorro no passeio de carro?

Levar o cachorro para passear também pode ser um momento delicado, já que alguns ficam muito ofegantes e animados com a ideia de conhecer lugares novos, colocando a cabeça para fora da janela e sentindo a brisa do vento. É claro que isso não significa que o seu cachorro é ansioso, ou está com um problema emocional.

Porém, a necessidade de acalmá-los nesses momentos é necessária e existem truques que os deixam bem mais confortáveis! Alguns deles são:

  • Utilizar capas protetoras pet para carros como forma de aconchego e segurança;
  • Não deixe-o sozinho no branco de trás, a agitação pode causar acidentes;
  • Use cinto de segurança para cachorro, isso garante a integridade física do animalzinho;
  • Comece com distâncias curtas para ele entender o que está acontecendo;
  • Ofereça refeições leves antes do passeio, estômago muito cheio pode ser prejudicial;
  • Leve-o até locais divertidos, ele necessita associar o passeio com algo bom;
  • Tenha sempre água e petisco ao lado para suprir as necessidades do cãozinho.

Viu só? O sofrimento interno do seu cãozinho tem mais a ver com uma rotina pouco produtiva do que com falta de amor e atenção. Por isso, invista em atitudes que deixem claro o lugar que eles ocupam, para que o estado de alerta seja acionado só quando houver necessidade.

Com essas dicas e recomendações é muito provável que você irá notar uma melhora no quadro de ansiedade do seu amigo peludo. Mas lembre-se de consultar um profissional antes, tá bom? Ah, e nos conte depois como foi a experiência, vamos adorar estar por dentro de toda evolução!

Por hoje ficamos por aqui. Continue nos acompanhando para saber muitas outras novidades sobre o universo mais carinhoso desse mundão. Até!

Deixe um comentário