Você sabe como tratar Cinomose? Confira nosso guia completo e entenda!

A Cinomose canina é causada por um vírus que faz parte da família Paramyxovirus, do gênero Morbilivírus. Em resumo, é uma doença infectocontagiosa que acomete filhotes e pets que não receberam doses de reforço da vacina contra a Cinomose. O contágio acontece de maneira rápida, com um grande potencial letal.

Os sintomas começam a aparecer a partir do 7º e 14º dia de contaminação. Diarreia, vômitos, febre e falta de apetite são alterações comuns quando essa doença acomete o organismo do nosso melhor amigo. Mas, tenha calma! É necessário levá-lo até uma consulta veterinária para que seja realizado um diagnóstico mais a fundo.

Caso o resultado realmente seja positivo para Cinomose Canina, é importante começar o tratamento o mais rápido possível. E é exatamente sobre esse fato que iremos abordar no post de hoje. Quer ficar por dentro do assunto? Basta continuar a leitura e manter-se informado sobre 5 maneiras de tratar Cinomose. Confira:

Conheça as formas de tratar Cinomose em Cães e ajude seu aumigo!

O sentimento de aperto no peito é quase impossível de ser controlado quando vemos nossos amados bichinhos doentes, não é mesmo? Eles fazem parte da nossa família e acabam sendo uma parte fundamental da nossa vida, que fica estremecida quando eles não estão bem.

Um dos grandes temores dos pais de pet é a Cinomose. A doença ataca sutilmente o organismo dos cães e, de uma hora para outra, deixam-os debilitados. Se o seu doguinho estiver no processo de cura, é legal que você fique atento a algumas ações que contribuem para melhora, como:

1 – Tratar os sintomas causados pela doença

Infelizmente, ainda não existem remédios suficientemente eficazes para o combate do vírus da Cinomose. O mais indicado pelos médicos veterinários é o tratamento dos sintomas da doença. Isto é, se o cachorro estiver com febre é necessário medicá-lo com fármacos que consigam diminuir a temperatura corporal.

O mesmo acontece em casos de vômitos e outras manifestações. Ficar de olho nas mudanças de comportamento é uma maneira de zelar pela vida do animal. Sem contar que amor e carinho são sentimentos que precisamos oferecer em dobro para eles, assim como o cuidado.

2 – Administrar antibióticos e antitérmicos

Os antibióticos e antitérmicos devem ser administrados por meio de auxílio profissional. Eles promovem melhora na parte respiratória do organismo e também nos sintomas referentes à Cinomose. Expectorantes e broncodilatadores também são alternativas que ajudam no bem-estar canino.

Fique atento às doses e horários de cada medicamento. A administração correta é fundamental para que haja melhora constante no quadro clínico do pet. Ah, e se houver o aparecimento de qualquer reação alérgica, entre em contato com veterinário imediatamente!

3 – Oferecer água e soro para manter a hidratação do pet

A Cinomose é uma enfermidade que afeta diretamente o sistema digestivo, portanto manter o seu aumiguinho hidratado é uma tarefa essencial. Tenha em mente que nem sempre é fácil, tá bom? Isso porque eles perdem o apetite e a força para realizar atividades que antes eram rotineiras, inclusive beber água.

Mas não desanime. Encontre maneiras de fazer com que eles apreciem uma boa travessa de água aos pouquinhos. Uma tática muito utilizada é a da seringa, que consiste em enchê-la de água – ou soro – e esguichar o líquido na boca do bichinho com cuidado.

4 – Terapias alternativas são sempre bem-vindas

Quanto mais os cãezinhos estiverem tranquilos, melhor para o sistema imunológico deles. Assim, a estrutura corporal dos animais vai estar preparada para combater a doença de maneira efetiva. E é exatamente isso que nós desejamos, não é mesmo? Portanto, acupuntura e fisioterapia podem ser realizadas durante o processo de cura.

Elas fortalecem o corpo, especialmente o sistema respiratório, o que ajuda em uma melhora significativa do quadro de Cinomose. Vale a pena conferir outros tipos de terapias alternativas e, se for o caso, testá-las.

5 – Suplementos alimentares ajudam na melhora do pet

A Cinomose deixa os bichinhos amuados e sem apetite, mas é certo que não podemos deixá-los sem se alimentar. Por isso o uso de suplementos alimentares é recomendado, uma vez que eles contribuem para a dieta do animal. Novamente, são os veterinários que podem indicar as melhores opções.

Vitaminas, minerais, colágeno, ácidos graxos e magnésio são só algumas das possibilidades. A resposta imunológica tende a ser positiva com a utilização desses vitamínicos.

Como prevenir que seu cãozinho contraia Cinomose?

Para prevenir que a Cinomose alcance o seu aumigo é essencial manter as vacinas V8, V10 e V11 em dia. No caso dos filhotes, são necessárias quatro doses logo depois dos 45 dias desde o nascimento. É apenas depois da última aplicação que o organismo canino vai estar preparado para lidar com o vírus.

É por isso que não é indicado levar os pequeninos para passear antes de estarem com todas as vacinas em dia. Afinal, é melhor optar pelo excesso de cuidado. Então, pegue a carteirinha de vacinação do seu doguinho e confira se todas as doses foram tomadas de acordo com o indicado.

Por hoje ficamos por aqui, mas não deixe de acompanhar no blog. Mantenha-se atualizado sobre o universo dos pets com a Líder da Matilha!

Deixe um comentário